Viagem para Florianópolis | Roteiro de 6 dias

Tempo de leitura: 12 minutos

Viagens não são o assunto foco do site, mas como quem manda aqui é o público e foram muitos (MUITOS!!) pedidos, resolvi escrever esse artigo contando o roteiro do que fizemos em Florianópolis durante os 6 maravilhosos dias em que ficamos na Ilha da Magia.

Para começar o relato preciso dizer que 6 dias acabaram se mostrando POUCO tempo para conhecer as mais de 42 praias que Floripa (para os íntimos) possui. Se você puder ficar mais, fique! O número de atrativos turísticos é grande e o de restaurantes ótimos maior ainda.

Mas vamos ao roteiro!

1º Dia:

cafe-ovosO ponto comum de todos os dias é o inicio: um bom café da manhã Low Carb (todos os dias têm isso em comum, a combinação de ovos mexidos/fritos e café preto).

A viagem se iniciou fora de Florianópolis. Lemos na internet que uma das praias mais bonitas do Brasil ficava numa cidade próxima chamada Bombinhas, nome dado pelo barulho que a areia de algumas praias da localidade faz quando pisada (lembra estalinhos).

Estávamos indo de Blumenau para Floripa, após um dia de gravações com a nutricionista Djulye Marquato para o canal e resolvemos parar para curtir algumas praias. Pegamos muito trânsito, porque só há uma rua para entrar e sair da cidade e ainda há necessidade de parar para pagar um taxa turística no valor de 26 reais por veículo.

bombinhas-rabo-de-baleiaMas valeu a pena, porque o lugar é lindo, a água é gostosa e a paisagem exuberante (quem me acompanha no snapchat viu ao vivo). Outro ponto curioso é a formação da cidade, que lembra muito a cauda de uma baleia.

Depois de curtir a praia fomos para Floripa e, como estávamos muito cansados, jantamos numa hamburgueria artesanal que ficava em frente ao nosso hotel chamada Puta Madre, com opções gostosas e num preço justo.

2º Dia:

Agora sim, Florianópolis!

Ilha-de-Raton-MayorComeçamos animados e logo no primeiro dia já fizemos um passeio de barco pela baía que separa Floripa do continente. Entre os atrativos estavam as lindas ilhas de Ratón Mayor, Ratón Menor e a ilha de Anhatomirim, nome vindo do Tupi que significa “Diabo Pequeno”.

Além da paisagem exuberante, que dá ao local o status de caribe brasileiro, o passeio foi animado por uma tripulação que se fantasia de pirata e conta com uma parte cultural interessante que fala sobre o passado do local, contando a origem do nome de cada ilha, para que cada uma já foi utilizada e, ainda, sobre uma certa maldição que a ilha de Anhatomirim tem (só vai saber quem for lá, rs).

Durante o passei há uma parada para almoço num restaurante na cidade de Governador Celso Ramos, mas como não estávamos com fome, decidimos não comer.

No final do passeio, já com uma fominha, aproveitamos para conhecer a loja da Veritá no centro da cidade, linha de lanches saudáveis dá qual já tinha ouvido falar muito bem.

veritaDividi com o Bruno um Kibe Low Carb e dois Veritás (salgado da marca que tem a massa feita de batata doce ou mandioca) de carne com azeitonas e frango thai. Também comemos um Veritá de banana com chocolate 70% como sobremesa e tomamos um café com leite de coco. Tudo sensacional e com um atendimento perfeito!!

Para o jantar, fomos até a Lagoa da Conceição, outro lugar lindo que a ilha possui, para comer no tradicional restaurante Casa do Chico. De entrada pedimos Ostras ao Natural.

ostras-casa-do-chicoUm ponto que deve ser destacado é que Florianópolis é responsável pela produção de mais de 95% das ostras brasileiras. Ir ate lá e não comer Ostras, para o Bruno, era inaceitável (até porque são muito baratas quando comparadas a qualquer lugar do Brasil).

Como prato principal pedimos camarões na abóbora cabotian gratinada acompanhados de legumes grelhados. Tudo simplesmente excelente!

Duas coisas não são novidade para quem me segue:

  1. Que em viagens eu me permito algumas escapadinhas da dieta.
  2. Que sou louca por sorvete.

Depois do jantar demos uma volta na Lagoa e fomos parar na sorveteria artesanal Gelateria Max. Apesar de já estar formalmente fechada (já passava das 23 horas) a funcionária da Gelateria ficou com pena da nossa cara de coitadinhos e abriu uma exceção, nos deixando comprar um potinho de 250 gramas de 3 sabores divinos (pistache, pinguino e cremino). Valeu cada caloria!!

3º Dia:

Nesse dia começamos a conhecer as praias mais badaladas de Florianópolis. Nossa primeira parada foi na belíssima praia da Daniela. Local tranquilo e sem ondas, parecia uma piscina de água salgada, ideal para quem tem crianças pequenas.

Chama a atenção na cidade a quantidade gigantesca de turistas argentinos durante a temporada, na praia da Daniela os hermanos estavam aos montes.

Após passar algumas horas na praia da Daniela, pegamos nosso carro alugado (em Floripa o transporte público não é lá essas coisas, melhor alugar um carro) e fomos conhecer outras praias próximas.

stand-up-jurerePassamos pela belíssima praia de Jurerê Internacional e suas mansões gigantescas, já sem a badalação que sempre ocorre no ano novo e carnaval, e fomos para a praia de Jurerê Tradicional fazer um stand up paddle (35 reais a hora).

Já esgotados, voltamos para o hotel e nos preparamos para jantar com um casal de amigos que tinha feito reserva no restaurante Porto do Contrato.

O restaurante, localizado no Ribeirão da Ilha, é lindo e tem mesas localizadas sobre um deck de madeira que mostram uma vista linda do continente na parte da noite.

porto do contratoDe entrada pedimos novamente Ostras, dessa vez gratinadas, e como prato principal um Filé de Badejo grelhado com camarões acompanhado de salada e batatas recheadas.

Como ninguém é de ferro, pedimos um brownie com sorvete de sobremesa, também bem gostoso.

OBS: Não estranhe o fato de não ter falado do almoço. Devido ao fato de comer apenas com fome é comum fazer menos refeições por dia (já falei disso aqui!).

4º Dia:

Depois de nosso café da manhã Low Carb de todo dia, fomos juntos com nossos amigos até a Barra da Lagoa, outro local de praia, bem cedinho, na esperança de conseguir vaga para o melhor passeio que fiz na região: a visita a Ilha do Campeche!

barco-ilha-do-campecheTodas as empresas que faziam o passeio estavam com as vagas esgotadas, o que mostra o quanto o passeio é concorrido. Como somos brasileiros e não desistimos nunca, ficamos esperando na esperança de alguma falta, o que acabou acontecendo.

O passeio ficou em 120 reais por pessoa, e leva o dia todo. Saímos de barco às 10 da manhã e chegamos na ilha próximos do meio dia. O mar parece estar sempre agitado nessa região, o que fez com que mais da metade do barco desse uma vomitadinha no mar (alguns mais de uma vez, poucos mais de duas e uma mulher mais de 3!).

ilha-do-campecheMas no final as cenas nojentas e o vômito coletivo compensaram!! A ilha é linda e merece realmente o status de Caribe Brasileiro. Com águas cristalinas e de um lindo azul claro, mar calmo e beleza indescritível, a ilha do Campeche impressiona a todos que se aventuram a conhecê-la.

A Ilha possui apenas um restaurante que serve opções limitadas mas gostosas. Para não voltarmos de estômago vazio comemos uma porção de camarões ao bafo.

 

Acabado o passeio, voltamos ao hotel e nos por-do-solarrumamos para conhecer Santo Antônio de Lisboa, local com vários restaurantes e arquitetura clássica. Durante a visita ficamos impressionados com a beleza do pôr do sol do local.

Depois de algumas fotos blogueirinhas, fomos até Sambaqui jantar no restaurante Pitangueiras: a pedida foram pastéis variados de entrada, postas de cação ao molho de camarão como prato principal e um petit gateau com sorvete de sobremesa, tudo dividido por 4 pessoas.

5º Dia:

No quinto dia, sempre em companhia de nossos amigos que tornaram a viagem excepcional, fomos conhecer a praia Brava, outra das fantásticas praias que Floripa tem a oferecer.

As águas nessa praia são realmente mais agitadas, mas nada que seja um problema na hora de tomar um belo banho de mar. Pegamos um pouco de chuva no início da tarde e fomos nos refugiar num lindo restaurante localizado na entrada da praia chamado Le BarBaron.

camaroes-ao-molho-de-manteigaEnquanto chovia, e já com uma fominha, pedimos uma entrada de camarões ao molho de manteiga com ervas e vinho branco (vinha com umas torradinhas ainda) e, de prato principal, uma anchova escalada grelhada servida com molho belle meunieere com legumes, palmito grelhado e pirão de peixe.

Depois do almoço a chuva parou e aproveitamos mais um pouco do mar antes de nos despedirmos da última praia que conhecemos em Florianópolis.

No jantar, nosso amigos nos levaram no restaurante Jardins Restô Café que não fica propriamente em Floripa, mas sim na cidade vizinha São José.

vista-de-floripaO Jardins Restô Café é um daqueles lugares que encanta pela beleza e por cada cantinho que parece que foi pensado nos mínimos detalhes. Com uma vista linda de Floripa (vista na foto), uma decoração impecável e um menu com várias opções deliciosas, foi um dos lugares que nunca teríamos conhecido se não estivéssemos acompanhados de amigos que moram no local.

De entrada pedimos um Steak Tartar de mignon (o melhor que já comi) e uma porção de pastéis variados (siri, berbigão e queijo brie), acompanhados de um bom vinho tinto seco.

polvoComo prato principal eu pedi camarões gratinados preparados no leite de coco (vinha dentro de um coco, uma graça). Mas o prato que roubou a cena, tanto pelo sabor quanto pelo visual, foi o do Bruno: polvo grelhado com espaguete de nero, mariscos, pimenta dedo de moça e espuma de gengibre, deliciosos!!

De sobremesa fomos na sugestão do chefe, uma espécie de brownie meio amargo com sorvete… mas esse foi quase todo pra conta do Bruno, eu já estava bem satisfeita.

6º Dia:

Chegamos ao último dia da viagem 🙁

Como nosso voo só saia as 19 horas e só tínhamos que entregar o carro as 17:30, deixamos um último ponto turístico para conhecer e um dos restaurantes mais badalados para visitar.

caneca-e-imaO ponto turístico foi o encantador Mercado Municipal de Florianópolis. Lugar lindo, cheio de opções de restaurantes e locais vendendo lembranças. Aproveitamos para comer um pastel de camarão, queijo e palmito no famoso Box 32 (as seguidoras falaram que era imperdível) e comprar nossas já tradicionais lembranças de viagem: um imã de geladeira e uma caneca.

Saindo do Mercado Municipal demos uma passada em um local que vende produtos naturais e orgânicos em Floripa, apenas para conhecer mesmo, o Mercado São Jorge.

Com muitas opções de produtos e um restaurante com um buffet bem vistoso, o Mercado São Jorge pareceu ser uma boa pedida para quem busca uma opção saudável na hora de comer no centro da cidade. Eu acabei não provando nada porque estava guardando meu paladar para nossa última parada gastronômica: o restaurante Ostradamus.

cevicheCom uma decoração linda e variada, serviço de primeira e mesas num deck que avança sobre o mar dando uma linda visão das fazendas de criação de ostras, o restaurante Ostradamus encanta logo de cara. Tudo muito bem pensado, desde o cardápio enrolado como um mapa do tesouro até as mesas cheias de bugigangas sob os tampos de vidro.

O menu não deixava por menos, com diversas opções de frutos do mar e, claro, ostras vindas da própria fazenda marinha do restaurante. Para nossa última refeição na ilha, fomos de ceviche “Biba Chiwake”: composto de cebola roxa, pimenta biquinho, gengibre, salsa, coentro, camarão, peixe, polvo e limão siciliano.

ostradamus-arrombassi-istepoComo prato principal, pedimos o “Arrombassi Istepô” (expressão local de espanto): lula, polvo, camarão e ostra salteados no azeite de oliva, alho e gengibre, flambados na cachaça sassafras e anis, acompanhados de pimentões, cebola, pimenta dedo de moça, maçã verde grelhada, figo seco, amêndoas torradas e arroz. Tudo lindo e muito (MUITO mesmo) gostoso!

Ao invés de sobremesa, fomos até o Café “Tens tempo, Istepô”, localizado em frente ao restaurante (e de mesmo dono) para tomar um cafezinho e provar doces portugueses que fazem parte da culinária da ilha.

Essa foi nossa última parada antes do aeroporto e a volta para casa.

Resumindo…

Esse foi nosso roteiro de 6 dias na Ilha da Magia. Gostamos muito do local e pretendemos voltar para conhecer mais das belezas naturais do lugar, visitar nossos amigos e comer nos ótimos restaurantes da cidade.

Espero que tenha gostado! Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário abaixo e tentarei responder assim que possível.

Também temos um vlog de nossa viagem para Foz do Iguaçu, para ver clique aqui!

Se você ainda não é inscrito no canal do YouTube do Você Mais Fitness, aproveite para se inscrever clicando aqui.

Beijos e até a próxima!

Siga o Você Mais Fitness nas redes sociais!

  1. Facebook: Você Mais Fitness
  2. Instagram: Você Mais Fitness
  3. Snapchat: maria-luizass

Fique informado! Cadastre seu email no Você Mais Fitness e receba novidades, artigos e dicas imperdíveis para ter uma vida mais saudável (grátis)!

Comments

comments